Sala de Imprensa

Press releases

HISPASAT fornecerá capacidade espacial na Groenlândia mediante a missão Greensat

7 de Outubro de 2021

• Trata-se de uma carga útil dedicada embarcada no novo satélite Amazonas Nexus, que a operadora espanhola colocará em órbita no final de 2022.

• A capacidade do Greensat permitirá à Tele Greenland ampliar o acesso à Internet em todas as cidades e povoados remotos do norte e do leste da Groenlândia.

MADRI (Espanha)-NUUK (Groenlândia), 7 de outubro de 2021. HISPASAT, a operadora espanhola de satélites de telecomunicações do Grupo Red Eléctrica, firmou um acordo com a Tele Greenland, a empresa nacional de telecomunicações da Groenlândia, para a contratação de capacidade espacial no satélite Amazonas Nexus até o final da sua vida útil.

O acordo permitirá à Tele Greenland prestar serviços de acesso à Internet em todas as cidades e povoados remotos do norte e do leste da Groenlândia que hoje contam com serviço de satélites. Mediante esta capacidade serão oferecidos também serviços corporativos a empresas de mineração e poderão ser utilizados como sistema de backup para a recuperação dos serviços de comunicação em casos de emergência.

Uma potente carga útil de 800 Mhz em banda Ku, especialmente desenvolvida para dar cobertura à Groenlândia, será embarcada no satélite Amazonas Nexus da HISPASAT, atualmente em processo de construção pela Thales Alenia Space, cujo lançamento está previsto para o final de 2022. A missão foi batizada de Greensat, que destaca a aliança estratégica a longo prazo estabelecida entre ambas as empresas com o fim de promover grandes melhorias nas comunidades mais remotas da Groenlândia.

Conectividade para 100% da população na Groenlândia

Nos últimos dez anos, a Tele Greenland realizou um grande investimento em cabos submarinos de fibra e em sistemas de micro-ondas que oferecem Internet de alta velocidade e tarifa básica para mais de 92% da população da região. No entanto, conta com localidades mais isoladas onde a solução mais rápida e eficiente é a conexão por satélite.

“Através da nossa aliança com a HISPASAT, esperamos melhorar significativamente a experiência de uso de Internet para todos os nossos clientes de tecnologia por satélite na Groenlândia. Vamos começar a prestar este serviço na região de East Greenland no final de 2020, com capacidade interina até a chegada do Greensat”, afirmou Kristian Reinert Davidsen, CEO da Tele Greenland. “Estamos muito orgulhosos de que esta capacidade específica vai ser chamada de Greensat, pois é a peça que faltava no nosso quebra-cabeças para conseguir levar conectividade de 92% a 100% dos habitantes da Groenlândia. Mesmo nas localidades pequenas das nossas comunidades remotas, precisamos de gigabits de capacidade com o objetivo de ampliar a conexão à Internet para serviços de educação ou de saúde, governamentais e, obviamente, também para o entretenimento.”

Acordo estratégico a longo prazo

Miguel Ángel Panduro, diretor executivo da HISPASAT, ressaltou a importância deste acordo estratégico, “que representa o início de uma relação de longa duração com a Tele Greenland e com o governo dinamarquês, aos quais agradecemos a confiança depositada na HISPASAT ao escolher-nos como prestador de serviços de comunicações para a Groenlândia”, afirmou. Panduro destacou a versatilidade e robustez que caracterizam os satélites, “a única infraestrutura capaz de levar conectividade de qualidade aos lugares mais distantes ou inóspitos, desde a Floresta Amazônica até as regiões polares”.

Construir infraestrutura e prestar serviços de Internet por satélite na Groenlândia é um verdadeiro desafio. Os baixos níveis de elevação dos satélites geoestacionários em zonas tão ao norte do Círculo Polar Ártico, combinados com o vento, a neve e as baixíssimas temperaturas do inverno, configuram grandes exigências para o equipamento de terra. Portanto, a missão Greensat será acompanhada por importantes investimentos em estações terrestres e acesso local 4G.

O Amazonas Nexus é um satélite de alto rendimento (“High Throughput Satellite” ou HTS por sua sigla em inglês) desenvolvido com uma arquitetura inovadora que combina as bandas Ku e Ka para otimizar as comunicações e multiplicar a capacidade disponível para uso comercial. Além disso, inclui um Processador Digital Transparente de última geração (DTP, por sua sigla em inglês), um avanço tecnológico que permitirá processar digitalmente a carga útil do satélite e aumentar sua flexibilidade em órbita. O novo satélite, de tecnologia avançada, terá cobertura sobre todo o continente americano, os corredores do Atlântico Norte e Sul (zonas de grande tráfego aéreo e marítimo) e a Groenlândia. A posição do satélite de 61º Oeste é uma localização ideal para alcançar até mesmo as zonas mais ao norte desta região.


Descargar nota de prensa